Não foi apenas o Brunno a ser plagiado

Desde a Páscoa, o assunto mais discutido na blogosfera foi a questão do plágio. Houve acusações, defesas e omissões. Quem acusou apresentou provas irrefutáveis, quem defendeu usou argumentos emocionais em razão de laços afetivos, e quem se omitiu deve ter também suas razões.

Não era minha intenção dar continuidade a esse tema tão desagradável, mas diante dos fatos subsequentes, não posso mais calar. O Mario Leal, marido da Cristiane, acusada de plágio, vem fazendo insinuações e ameaças veladas a todos que, de uma forma ou de outra, trouxeram o caso à baila. Em nenhum momento ele apresentou argumentos consistentes, mas foi pródigo em levantar hipóteses bizarras sobre os fatos.

Ele alega que os posts do Brunno serem datados anteriormente aos da Cristiane não prova nada, pois o que vale é o registro no ISBN, mostrando com isso que a moral e a ética não contam para ele. Vai além ao dizer que o Brunno alterou as datas dos posts depois de plagiá-los. Pois bem, é mesmo possivel republicar um post usando uma datação qualquer, porém a URL permanecerá com a data original.

A questão da exclusão dos blogs. Ele diz que houve uma invasão e que vândalos os teriam excluído. E eu pergunto: A quem mais poderia interessar a exclusão dos blogs senão à própria Cristiane?
Os blogs continham os textos citados como plágios, portanto a exclusão deles foi bastante conveniente, e os "invasores" e "vândalos" acabaram por prestar um inestimável serviço à Cristiane destruindo todas as provas contra ela.

Eu falei "todas as provas"? Desculpe, foi um engano. Algumas se salvaram. Como foi possível isso? Fácil, pessoas que estavam online viram todas as etapas do processo. Primeiro foram apagados os comentários com acusação de plágio, em seguida a caixa de comentários foi fechada, pouco depois alguns posts foram excluídos, e por fim todo o blog. Enquanto isso acontecia, foi possível salvar com PrintScreen muitas telas com os textos plagiados. Assim, quando os blogs foram excluídos nem tudo foi perdido.

O que o Mario esquece é que havia também textos de autores famosos, cujos nomes ela jamais mencionou nas suas publicações. E mais, ainda recebia os elogios como se deles fosse merecedora. Em muitos desses textos, até as imagens usadas no original constavam do plágio.

Vejam a crônica do Padre Fabio de Melo, com data de 08/05.
(clique na imagem para ver no tamanho original)


Certamente estão se lembrando dela... Aquela cuja frase mais elogiada nos comentários dizia: Da obra, o rascunho.
Lembraram agora?
Pois é...

Telas do cache do Google, com o post da Cristiane, datado de 04/09.

versão completa
(clique na imagem para ver no tamanho original)


versão texto
(clique na imagem para ver no tamanho original)



Teria o Padre Fabio de Melo também plagiado a Cristiane? Teria ele também alterado a data da crônica para que pensassem ser anterior à dela?

Se ainda acharem as provas insuficientes, é bom saberem que temos muito mais arquivadas.

Uma das insinuações do Mario diz respeito a mim especialmente. Eu seria a pessoa que deletou os blogs da Cristiane, uma vez que, por ter feito os templates, teria a senha dos mesmos. Os blogs continham os textos plagiados. Ora, se fui uma das pessoas a levantar os plágios, por que razão iria destruir as provas das minhas alegações?

Observem a tela da versão completa. Em lugar de imagens e background, estão banners do Photobucket. Quase todas as imagens usadas nos dois blogs estavam hospedadas no Photobucket e dele foram excluídas por mim, direto do meu ábum, quando me certifiquei dos plágios, tal a minha indignação. Não precisei acessar o blog para retirar as imagens.

Fiz todos os templates da Cristiane, não profissionalmente, mas por amizade e carinho. Portanto, me senti profundamente decepcionada, ludibriada mesmo, e estava no meu direito não permitir que imagens dos meus arquivos permanececem nos blogs.

Aqueles que nada viram, que nada souberam e por isso preferiram não opinar, é bom começarem a analisar as provas apresentadas, aqui e em outros blogs, pois logo irão se dar conta que não fomos pessoas levianas, e tão pouco houve uma conspiração maléfica contra a Cristiane.

Ela sim, conspirou contra nós, fazendo-nos de palhaços com os "belos e profundos textos" que postou. E deve ter dado boas gargalhadas junto com o marido, debochando dos "otários" que se derramavam em elogios nos comentários.

Não foi a toa que o doce casal acabou de excluir os respectivos blogs, pois contra a verdade não há mentira que se sustente.



Outras provas, em outros blogs:

Scriptus

Brunno

14 Comentários

Grace Olsson disse...

Betty, eu acho que até hoje tem gente na blogosfera nos chamando de algozes. E gente que preza tanto por ética. gente que escreveu livro. Gente que preferiu nos adjetivar de forma negativa. Uma pena.
Muita gente nao opinou por vergonha mesmo de ter sido ludibriada.
E outras..foram além da decëncia.
Bjs e dias felzies


Essa do Padre Fabio, nao sabia-Ou nao queria saber...

Luci Lacey disse...

Betty

Resumo perfeito.

Pena, eles terem deletado os nlogs e nao enfrentado a situacao, provar a verdade.

Agora eh o Brunno, tocar para frente, provas, ele tem bastante.

Beijinhos

Sheherazade disse...

Betty,
Você não tem que provar nada, amiga! Sua palavra, abalizada por Grace, Luci e outras figuras de irrefutável idoneidade que (ainda) transitam por aqui, são o suficiente pra qualquer pessoa de bom senso levar a sério essa vergonhosa atitude.
A moça era a plagiada, é? Pôxa! E agora, que ela saiu da blogosfera, como é que o Bruno Soares, o Pe. Fábio de Melo, Martha Medeiros e até Paulo Coelho vão ficar? Em que fonte beberão? ... Tsc, tsc, tsc!
JESUS CRISTO TEM CADA INQULINO!!!

Beijinhos

tita coelho disse...

Betty,
Teu post está ótimo! Como sempre digo... Eu cago e ando para gente da internet falsa, se existe alguém que pensa que " estamos errados" que vão passear, não to nem aí.
Tu fizeste tua parte, e que esse episódio sirva de exemplo e que por favor... Nin guém desencrave esses dois para voltar a plagiar na internet!
Beijos menina

Odele Souza disse...

Querida Betty,
Este teu post esclarece toda eventual dúvida que eventualmente ainda houvesse sobre essa desagradável história. Está tudo aqui, explicado e documentado. Quem quiser ver para acreditar, aqui verá.

Beijos.

maristela disse...

Venho atrasada, mas quero deixar meu depoimento também. Batendo na mesma tecla: copiar sem creditar é um crime de lesa-humanidade no sentido real. A vaidade faz coisas terríveis - e dizer que era tudo por uns cliques a mais e muiiiiiitos elogios! Mas tudo um dia aparece, sai da sombra, se torna visível. Pode demorar, mas acontece.

Anunciação disse...

Fiquei com pena da Grace não ter ido adiante sobre o caso mas entendendo perfeitamente a decisão dela;mas este seu post foi uma pá de cal,como diria minha avó,nessa historia sórdida.Que pena que nesse mundo tão necessitado de incentivo a solidariedade,ao respeito, pessoas existam que fazem esse tipo de coisa.Um grande abraço em vc,Grace e Luci Lacey pela luta.E concordo plenamente com a Odele.

Rosamaria disse...

Que desilusão, eu que gostava tanto daquele casal!
Não tem justificativa, tá tudo aí e mesmo atrasada, porque andava por fora, venho me solidarizar com vocês.
Bjim.

Ângela Coelho disse...

Parabéns Betty! Colocastes as provas que faltavam para inocentar o Brunno.
Como a Grace falou existe pessoas que as estariam chamando de algozes e agora acabou tudo, ou melhor só confirmou o fim, no momento que o casal deletou os blogs já assinou a confissão de culpa.
Beijos no teu coração.

Brunno Soares disse...

Chegando atrasado por conta da viagem.
Mas em tempo de dizer que vc simplesmente acertou em cheio neste post.
Que a consciência das respectivas pessoas se encontrem em algum momento com uma palavrinha mágica chamada Arrependimento.

Agradeço a Deus por ter conhecido pessoas como vc.

vamos em frente!!!

Blog do Beagle disse...

Estou pasma! Noutro dia outro blog foi não apenas plagiado, ms integralmente clonado!!! Um absurdo. Vá em frente e denuncie. Pena que custe tão caro registrar cada texto em cartório antes de publicar. Elza

Ery Roberto Correa disse...

Betty, agora, depois deste teu post eu quero e devo dizer o que preciso.

Soube deste caso através da Grace, a quem conheço há bem menos tempo que o Mario. Absolutamente, não duvidei dela (é algo que quero que ela leia, pois ainda tenho uma mensagem sem responder). Confesso que o fato de não conhecer e nem frequentar o blog do Bruno também não foi fator que tenha contribuído para que ainda não tivesse me manifestado. O que pesou mesmo foi a decisão de "ler" os dois lados para depois opinar a partir de uma interpretação mais apurada.

Li as queixas do Bruno, li um post do Mário onde ele "tentou" defender a mulher. Foi um post infeliz, onde não conseguia nem articular palavras diferentes e respondia aos comentários com uma mesma frase. Triste ver e ler aquilo. Absolutamente não esperava a atitude que vi do Mário. Digo dele porque a Sra. sua mulher eu não conhecia. Agora acho que nem valeria a pena.

Também li a citação da tua pessoa, fiquei ciente da tua participação no desenvolvimento do layout, a afirmação dele com relação a portares login e senha, e agora, a partir desta claríssima demonstração do cache do Google, com a aparência da página construída em situação excepcional a partir da tua providência de deleção das imagens no Photobucket, o evidente esclarecimento que justifica tua ação (eu teria feito o mesmo!), estou tranquilo para me posicionar. Este posicionamento não é só a favor do menino Bruno, mas também do Padre e dos demais que eventualmente tenham sofrido tamanho vilipêndio pelo uso fraudulento de seus textos.

Ademais, li outros textos da Cris e que em dado momento alguém apontou a fonte, a publicação original. Não há qualquer dúvida do caráter fraudulento de plágio.

Interessante que a citação do princípio lógico de "caber ao acusador o ônus da prova" parece ter sido o último subterfúgio vindo do lado de lá. Se isto era tão importante, no presente momento, com esta série de provas cabais, seria o tempo certo de se ouvir novamente o casal. Afinal, foi o que invocaram: provas. Este par de links referentes ao texto do padre é o maior instrumento probante.

Mas onde eles estão? Longe dos seus blogues, já deletados - outra atitude impensada e que só corrobora como evidência de culpa.

Acredito, depois de tudo, que a conclusão está explícita. Mesmo com todo este conjunto probatório, será difícil as vítimas conseguirem alguma indenização ou coisa assim, pois bem conhecemos as deficiências da nossa justiça neste particular das relações virtuais, hoje tão multiplicadas na rede mundial.

Resta o consolo, proporcionado pela vigilância de tanta gente honesta e que propiciou arrancar as máscaras, que o menino Bruno sai fortalecido em seu admirável talento de escrita. Mais importante que isto, ele nos trouxe à tona um belo exemplo de caráter, mesmo que supostamente tenha menos experiência como julgam os culpados.

Por ter acompanhado com mais proximidade o que fez a Grace, refiro-me a textos sobre o assunto, reputo que a atitude dela foi exatamente o que sempre esperei. Evitou a polêmica e aguardou o tempo dizer com todas as letras - e sem plágio algum - quem estava munido da verdade.

É muito triste assistir episódios como este, ainda mais quando envolve amigos. Mas é sempre bom conhecê-los de verdade, mesmo que seja a partir de um deslize.

Valeu. Obrigado pela paciência em me ler. Isto não é tamanho de texto para comentário, mas afinal eu ainda não tinha dito nada.

Abraços.

Magui disse...

Estou completamente por fora.Que horror!!!

Carlos Emerson Jr disse...

De vez em quando eu ia no blog da Cris mas jamais passou pela minha cabeça que aquilo fosse de autoria de terceiros... enfim, a gente vê cada coisa nessa internet!!!
De positivo nessa história fica a pronta ação de pessoas como você, Grace, Luma e tantos outros que compraram a briga do Bruno.
Isso se chama solidariedade.
Um beijão.

Postar um comentário